Receita de risoto de abobrinha com alho poró

Ingredientes

  • 500g de arroz arbóreo ou  carnaroli
  • 300g de abobrinha italiana em cubos
  • 100g de bacon fatiado (opcional)
  • 150g de alho poró
  • 1 cebola pequena
  • 2 dentes de alho
  • Azeite de oliva
  • 1 xícara de vinho branco seco
  • Pimenta do reino moída
  • Sal
  • Páprica picante
  • 1 litro de caldo de legumes  (ou de carne ou de frango)
  • 100g  de queijo parmesão ou grana padano
  • Cebolete picada
  • Limão siciliano

 

Preparação

  • Corte a abobrinha em cubos e o alho poró em fatias finas e reserve. Corte  o bacon em pedaços pequenos, e a cebola o alho em cubinhos
  • Aqueça uma frigideira em fogo médio com azeite de oliva. Doure o alho poró em frigideira bem quente por aprox. 3 minutos. Então, largue a   abobrinha e salteie por 1-2 minutos para um leve cozimento. A abobrinha deve ficar um ponto acima do al dente. Retire do fogo, coloque em um prato e reserve.
  • Aqueça novamente a frigideira, com azeite de oliva e doure o bacon até ficar levemente crocante, então acrescente o alho e a cebola e doure até a cebola ficar transparente. Então, coloque o arroz e deixe dourar por 1 minuto.
  • Adicione, uma parte do caldo (em torno de 150ml)  e fique mexendo o arroz continuamente. Continue regando o arroz ao longo do processo de cozimento, mantendo sempre um bom nível de caldo na panela. Esse processo leva em torno de 25 minutos.
  • Durante o processo de cozimento, acrescente sal, páprica e pimenta à gosto. Pode também incluir outros temperos de suas preferência, bem como ervas frescas.  Deixe para colocar o vinho poucos minutos antes do término do cozimento.
  • Ao término do processo de cozimento, misture o alho poró e a abobrinha, mexa bem e então misture o queijo parmesão ralado. Você também pode adicionar manteiga ou requeijão para maior cremosidade.
  • Sirva e finalize com lascas de queijo parmesão ou grana padana, cebolete picada, pimenta, raspas de limão siciliano e azeite de oliva.

Dicas

 

  • Para o preparo do caldo, você pode utilizar partes de legumes e folhas que às vezes são descartados, como as folhas verde do alho poró, os cantos da cebola, da cenoura, etc.

 

    • Utilize para dar aroma, um buquê de ervas frescas. Escolha as ervas de sua preferência e coloque os galhos no caldo e deixe ferver por aproximadamente 1 hora. Coloque sal.

 

  • Para o caldo de carne utilize carnes como ossobuco, que contém colágeno e vão dar ainda mais nutrientes para o seu cardápio

 

    • Ao finalizar o cozimento, certifique-se de que o arroz tem bastante líquido, pois esse líquido seca rapidamente e pode deixar o prato seco após misturar o queijo e a abobrinha

 

  • Lembre-se que essa é uma receita com base de preparo para qualquer risoto. Então, você pode usar a sua criatividade e preferências e substituir os legumes, as carnes, os temperos, criando pratos diferentes.

 

  • Sirva sempre em prato fundo.

Receita de bruschetta italiana tradicional

Ingredientes

  • 500g de pão italiano  
  • 300 a 400g de tomate italiano maduro
  • Folhas de manjericão fresco
  • 2 dentes de alho
  • Azeite de oliva
  • Pimenta do reino moída
  • Sal
  • Redução de balsâmico

Preparação

    • Corte o pão em fatias de aproximadamente 2 cm
    • Corte os tomates em cubos de médios a pequenos
    • Descasque o alho, corte ao meio (ao comprido) e reserve
    • Em um bowl coloque os tomates e manjericão e regue com bastante azeite de oliva. Deixe descansar por ao menos 20 minutos. Coloque o sal apenas na hora de servir
    • Aqueça uma frigideira em fogo médio com alguns fios de azeite de oliva e coloque o pão para tostar. Acompanhe o processo e quando o pão estiver dourado, vire e repita o processo.
    • Retire os pães e esfregue o alho em sua superfície. Apenas uma passada de uma extremidade a outra já é o suficiente.

 

  • Coloque o pão em um prato e cubra com o tomate. Finalize com azeite de oliva, pimenta e redução de balsâmico.

 

  • Dicas

Escolha um bom azeite de oliva

Ao invés de tomates, você também pode fazer  as suas bruschettas com cogumelos grelhados (receita 3)

Prontas em 15-20 minutos

Servem  cinco pessoas

Receita de Brownie Fit (sem glúten e sem lactose)

Hoje vamos ensinar uma receita de brownie sem glúten e sem lactose, que é uma delícia e que ainda dá para você transformar em um brownie vegano maravilhoso. Serve como um lanchinho da tarde ou como uma sobremesa gostosa e saudável.

Pra começar, asse 4 batatas doce, você pode usar a batata roxa também. Para isso é só embrulhar cada uma delas em papel alumínio e levar para assar em forno preaquecido a 160?C por aproximadamente uma hora ou até que você coloque um palitinho no meio ou espete um garfinho e você veja que ela está bem molinha e tenra. Descasque a batata, corte e esmague um pouco (aproximadamente 300g), coloque no processador e acrescente 1/2 xícara de farinha de amêndoas, que você pode fazer em casa. É só processar as suas amêndoas até virar uma farinha! E também 1/2 xícara de óleo de coco. Pra dar o sabor maravilhoso do nosso brownie, acrescente 1/2 xícara de cacau em pó 100% ,que não tem açúcar e um ovo. Se você for vegano, você pode tirar o ovo e acrescentar gel de linhaça. Pra dar um saborzinho,  um docinho a mais, apesar de que a batata doce também já traz um doce para o o brownie, adicione 1/4 de xícara de mel, ou agave ou melado de cana, que também são muito bons para o organismo.
Acrescente também 1 colher de sopa de extrato de baunilha e uma pitadinha de sal, feche o processador  e processe bem até tudo se misturar e você ver que não tem mais nenhum pedacinho da batata e nem nada. Quando a mistura estiver bem homogênea, abra o processador e acrescente uma colher de bicarbonato de sódio, processa novamente o bicarbonato de sódio com a massa e aí você pode acrescentar 1/2 xícara de nozes  ou castanhas, a que você preferir. Nibs de cacau também são uma ótima opção. Acrescenta crocância no meio. E se não quiser, também não precisa acrescentar nada também, ele vai ficar maravilhoso!
Misture tudo sem triturar. Agora é só  cobrir uma forma  com papel manteiga ou alumínio e aí é só espalhar o seu brownie por todo esse papel manteiga e deixar bem retinho. Leve para assar em forno preaquecido a 170?C por aproximadamente uns 40 minutos.

Uma dica é depois que ele esfriar, tire do forno e  guarde na geladeira. Fica uma delícia geladinho.

Depois nos conta aqui como ficou o seu brownie!

Alimentação saudável começa com o cultivo de orgânicos

 

Nesse último mês, acordamos com alguns projetos da legislação brasileira, no mínimo um tanto duvidosos. Primeiro a “PL do Veneno”, depois a restrição de venda de orgânicos em supermercados. Momento para ligar o alerta, pois essas ações podem impactar drasticamente na nossa saúde, dificultando o acesso a uma alimentação saudável.

A agricultura orgânica é um sistema de cultivo que não utiliza produtos químicos, como inseticidas, fungicidas, herbicidas, entre outros produtos que visam proteger as plantas de pragas e doenças. Porém, tais químicos, podem alterar a composição natural de um agroecossistema, como matar insetos considerados benéficos, como as abelhas. Além disso, podem contaminar o solo e a água, ademais, podem ficar retidos nos vegetais na forma de resíduo.

Quando falamos de hortaliças e frutas, o alerta se torna ainda mais importante, pois são alimentos que não passam por algum tipo de processamento, como é o óleo de soja ou o beneficiamento de grãos como arroz e feijão, mas sim, são consumidos in natura. Algumas hortaliças e frutas são mais suscetíveis ao ataque de pragas e doenças, e por isso recebem uma carga maior de defensivos químicos, ao longo do seu desenvolvimento, como é o caso do tomate, morango e pimentão, por exemplo.

Manejar uma horta ou um pomar de forma orgânica é utilizar técnicas biológicas que afastam pragas, proteger com elementos naturais contra fungos patogênicos, adubar o solo com matéria orgânica, e preservar a saúde e bem estar do agricultor e do consumidor final. Trabalhar com orgânicos é quase uma filosofia que se preocupa com o processo como um todo, desde não utilizar químicos, passando pela proteção ambiental, e acabando por preservar a saúde de quem trabalha no campo e de quem consome na cidade. Isso é sustentabilidade, pois produzir alimentos depende de um ambiente conservado. E conservar um ambiente é se preocupar com o futuro, com proteger o solo, proteger as águas subterrâneas, proteger a fauna  e manter o trabalhador rural no campo.

Agricultura orgânica é isso e precisa ser preservada. O Plantar…Colher e Cozinhar é um curso que busca essa preservação. Oferecemos trazer um pouco da agricultura para centros urbanos. Para escolas, para incentivar as crianças a manter essa relação com a natureza e entender o processo de onde vem o nosso alimento.  Para restaurantes que promovem uma alimentação saudável e tem esse cuidado em fornecer um cardápio recheado de qualidade.

O Leve Bistrô tem essa opção e se preocupa com a tal preservação, por isso firmou-se essa parceria para que juntos possamos iniciar essa caminhada em busca de mais amigos que queiram se alimentar melhor e, iniciar uma prática que para nós, é uma terapia: Plantar, colher e cozinhar.

 

 

Biografia

Viviane Falkembach Pretz, natural de Porto Alegre, RS, Engª Agrônoma, formada em 2010 pela UFRGS. Mestre em Fitotecnia/UFRGS e Dra. em Sanidade vegetal na área de Hortas Orgânicas/UFRGS. Atuou por 3 anos em docência para graduação em Agronomia, nas disciplina de Pragas Agrícolas e Horticultura Orgânica. Atualmente trabalha com consultorias de hortas em pequenos espaços, tem um projeto chamado “Plantar, Colher e Cozinhar” com o objetivo de implantar o conhecimento dos alimentos naturais na aprendizagem das crianças e a importância da educação ambiental na formação das mesmas, quando o curso é destinado para escolas. Ou, compartilhar conhecimento de cultivos orgânicos quando o curso é destinado para um público geral, sendo executado em restaurantes, floriculturas, feiras e shoppings no formato de workshop.

Dicas simples para uma dieta mais saudável

É comprovado cientificamente que uma dieta saudável é fundamental para prevenir doenças e proporcionar qualidade de vida.  No entanto, fazer grandes mudanças na sua dieta pode parecer difícil.  Portanto, comece com pequenas mudanças que farão um grande diferença.

 

  • Coma devagar

Estudos comprovam que pessoas que comem rápido, comem mais do que o necessário e tendem a ganhar mais peso. Isso acontece por vários motivos. Um deles é que o cérebro leva de quinze a vinte minutos para sentir o efeito de saciedade após a ingestão do alimento. Portanto, se você comer mais devagar, dará ao cérebro o tempo necessário para sentir que você já está satisfeito.  Então, desacelere. Reserve um tempo para fazer a sua refeição com tranquilidade.

  • Evite ao máximo o consumo de produtos embutidos e gordura hidrogenada

Precisamos ter consciência e informação sobre o que comemos. Produtos embutidos contém substâncias comprovadamente cancerígenas e excesso de sal e gordura. Gordura hidrogenada é um veneno que o nosso corpo nem sequer reconhece como alimento e está presente na maioria dos produtos de confeitaria e padaria e em grande parte de produtos industrializados. Se você começar retirando esses dois da sua lista, já é um grande avanço. Depois que se acostumar, pode começar a excluir os refinados e então os industrializados.

  • Leia o rótulo antes de comprar produtos industrializados

Sabemos que é difícil deixar de comprar produtos industrializados. Mas na hora da compra é fundamental ler a lista de ingredientes no rótulo de cada produto. Assim, é possível comparar produtos e escolher o mais natural possível. Vou dar um exemplo. Quando você vai comprar um iogurte, tem marcas que contém apenas 3 ou 4 ingredientes, como leite, morango e stévia, por exemplo e outras, que vão conter leite, açúcar, soro de leite, leite reconstituído, conservante disso, corante daquilo, siglas estranhas e mais um monte de nomes que não conhecemos. E os dois são iogurtes. Simples, temos um produtos preparado com o intuito de proporcionar saúde ao consumidor, e outro, nem tanto. Claro, que o preço pode ser bem diferente, e vai ser, pois as indústrias grandes utilizam esses ingredientes justamente para baratear os custos e vender em grande quantidades. Eu prefiro não comer do que comer algo que não vai me trazer benefícios e que ainda pode me trazer malefícios. Então, adote esse hábito e faça escolhas conscientes.

  • Consuma mais proteínas

O ideal é que seja ingerida uma fonte de proteína a cada refeição. A ingestão adequada de proteínas é fundamental para a manutenção e ganho de massa muscular e também está associada à sensação de saciedade, onde estudos apontam uma menor ingestão calórica por parte de pessoas que consomem mais proteínas. Algumas excelentes fontes de proteínas são ovos, carnes magras, peixes, iogurte grego, grão de bico, ervilha, nozes, castanhas e aveia.

São dicas simples, mas se levadas a sério  trarão excelentes benefícios para a sua saúde e seu dia a dia.

Continue acompanhando o nosso blog, pois em breve teremos mais posts com dicas, receitas e informações.